Estudio

O forte vínculo existente entre o homem e a natureza é uma realidade passada, presente e futura, e constituí o fundamento do nosso desempenho profissional.

Tecnicamente a paisagem resulta da conjugação espacial de parâmetros ecológicos e culturais, e afecta directamente à nossa existência como entidade individual e colectiva. Quer seja humanizada ou natural, com interpretações culturais ou analisada segundo os seus parâmetros ecológicos, a manipulação e construção da paisagem procura o poder de conexão das nossas vidas quotidianas.

Em resposta à sobreexploração agrícola e industrial, e à densificação descontrolada das periferias naturais ou urbanas, a função do Arquitecto Paisagista mudou no último quarto de século, assumindo um compromisso ecológico tanto no planeamento como no desenho, colocando a necessidade de preservação e restauração dos recursos e sistemas naturais e a obtenção de paisagens sustentáveis.

Tendo como princípio no âmbito da nossa prática, que cada vez más, actuaremos sobre ambientes anteriormente manipulados, e que por sua vez, estaremos criando paisagens artificiais, a nossa filosofia de trabalho baseia-se no propósito de estabelecer conexões reais entre as componentes estruturais dos sistemas naturais e os parâmetros culturais, sociais e estéticos da vivência humana.

O respeito pelos valores naturais, culturais e artísticos é fundamental na planificação e concepção dos nossos projectos, e apoia-se em três conceitos: a percepção do contexto, a análise da envolvente e a sustentabilidade do conjunto. Temos como objectivo a criação de espaços contemporâneos e duradouros.

Conscientes de que a qualidade do desenho afecta em grande parte a qualidade da nossa existência, os parâmetros estéticos são uma componente importante da educação ambiental. Por outro lado o planeamento como instrumento de valorização da envolvente natural e urbana, protecção e gestão de recursos naturais, históricos e culturais é fundamental na consolidação da ética ambiental.

O papel regulador do sistema natural no âmbito urbano, através do controle dos índices de poluição e regulação bio-climática, repercute positivamente na qualidade de vida restabelecendo o equilíbrio emocional e o descanso.